♘ Sabia da égua de Raskolnikov

Desconhecia o episódio em que Nietzsche, em Turim, terá impedido o espancamento de um cavalo. E de que terá passado o resto da vida «dócil e demente, entregue aos cuidados da mãe e das irmãs» [Béla Tarr, 2011 (¹)]. Há quem associe este episódio a um seu último gesto de lucidez. E sendo ele admirador de Dostoiévski, fará sentido.
À semelhança do sonho de Raskólnikov, em que Mikolka, dono do animal, com outros bêbados, assassinam violentamente uma égua no meio da rua e uma criança corre a abraçar e a beijar o focinho do animal caído, Nietzsche, adulto, consegue salvar o cavalo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ilustrações a partir de desenhos de autores vários, mas tratados e adaptados, compostos e decompostos por mim. Incluo dois desenhos mais ‘juvenis’ ;).


(¹) Ribeiro, Ana Vieira (2014) “A rotina como estrutura do tempo: O cavalo de Turim de Béla Tarr.” Revista Croma, Estudos Artísticos. ISSN 2182-8547, e-ISSN 2182-8717. Vol. 2 (4): 20-28.